Organizar por listas

Grande parte da minha organização é feita através de listas. Na minha agenda tudo se regista através de listas de tarefas: diárias, mensais e até anuais. No formato digital, uso uma aplicação onde guardo as minhas listas de desejos, de ideias e checklists. Acredito que as listas são um método de organização eficaz, pois conseguem transformar processos complexos em passos simples. Resolvi por isso escrever sobre três aspectos que considero importantes quando queremos organizar por listas.

1 – Escolher onde criar cada lista

De nada nos serve construirmos uma lista se depois não a consultamos, verdade? O sucesso de uma lista depende em grande parte do seu nível de acessibilidade. Assim sendo, antes de começarmos uma lista é importante pensarmos onde e quando vamos precisar dela. Há listas que fazem mais sentido serem construídas e mantidas em formato digital, assim como há outras que só se tornam úteis se registadas em papel. Para mim, por exemplo, é importante que as minhas tarefas diárias sejam listadas em papel na minha agenda, pois é nela que coordeno todos os meus compromissos e afazeres. Além disso, o ato de escrever em papel é um ato mais organizador para mim…faz-me ficar mais focada e motivada para aquilo que tenho que fazer. Já as minhas listas de desejos, prefiro guardá-las em formato digital porque me permite mantê-las sempre actualizadas de uma forma bem mais acessível.

2 – Não duplicar conteúdo entre listas 

Ainda que possamos ter muitas listas e guardá-las em diversos formatos, para mim o grande truque para que elas sejam realmente eficazes é não cairmos no erro de duplicarmos informação. Apostar em listas simples, curtas e pragmáticas é um bom truque para não nos dispersarmos num mar de informação. Outra sugestão que pode ser útil neste ponto, é agrupar todas as listas num só sítio. Por exemplo, quando se trata do formato em papel, sugiro que todas as listas sejam registadas num só caderno. Já em formato digital, o conselho é escolherem apenas uma aplicação e explorem todas as suas funcionalidades.

3 – Dividir as listas por categorias

Podemos criar tantas listas quantas a nossa imaginação permitir. E se à primeira vista a infinidade deste método nos parece um ponto muito positivo, a verdade é que rapidamente este se pode tornar muito contraproducente. Sabemos que o excesso de informação nos pode facilmente levar a estado de maior desorganização. Um boa dica para não perdermos o fio à meada, é dividirmos ou agruparmos as listas por categorias. Por exemplo, podemos agrupar a checklist do supermercado, criar uma uma lista só de tarefas domésticas e organizar a wishlist de objectos de decoração, num grande grupo a que intitulamos de “Casa”.

Gostaste deste artigo? Guarda-o no pinterest!

Deixa um comentário

Your email address will not be published.