5 truques para manter a organização

Quando digo a alguém que sou apaixonada por organização e arrumação é muito habitual responderem-me qualquer coisa do género “Eu até gosto de arrumar, acho que fica tudo muito mais bonito quando arrumo, sinto-me muito mais feliz e tranquila! Mas o meu problema é depois, eu não consigo manter!”. E a grande verdade é esta: por mais que façamos uma organização e transformação profunda (em casa ou em qualquer área da nossa vida) é essencial que o “depois” também se transforme numa rotina mais focada e disciplinada. A pensar exatamente nisso, hoje partilho 5 truques para manter a organização na vossa vida.

1 – Escrever

Escrever é, na minha opinião, a melhor maneira de conseguirmos visualizar a nossa vida. Escrever obriga-nos a um nível de concentração e foco que é muito importante para mantermos a organização. Eu, por exemplo, escrevo na agenda, no calendário do google, no caderno que anda sempre comigo e em post-its. Na agenda aponto tudo o que é compromisso e tarefa. No calendário do google aponto os eventos que tenho com outras pessoas, garantindo desta forma que, para além de eu não me esquecer da pessoa em questão, esta também não se irá esquecer já que recebe a notificação da marcação. No caderno aponto não só todas as minhas ideias mas também o uso nas reuniões que tenho. Finalmente, nos post-its escrevo pequenos lembretes, como “não esquecer de tomar o medicamento às 16h”, e mantenho-os à vista ao colá-los no computador.

2 – Rotina diária de arrumar a casa

Quando terminamos um processo de organização de uma casa, todas as coisas têm de ter o seu lugar. Aliás, eu costumo dizer que uma organização de sucesso é aquela que encontra uma casa para cada objecto. No entanto, este poderá ser um processo demorado e trabalhoso e, por isso, há que tentar mantê-lo. Implementar uma rotina diária de organização e arrumação da nossa casa pode, ao início, parecer-nos muito complexo e aborrecido. No entanto, se partirmos de uma casa já organizada, vamos perceber que é uma rotina que nos consome pouco tempo e que nos impede de voltar ao caos. Fazer a cama, colocar a loiça na máquina de lavar, limpar as bancadas da cozinha e da casa de banho, arrumar a roupa e devolver os objectos espalhados à sua casa…esta é a minha rotina e acreditem que não me rouba mais do que 15 a 20 minutos do meu dia.

 3 – Estipular uma periodicidade para cada organização 

Organização de casa, organização de documentos, organização digital, organização de agenda… São realmente muitas áreas da nossa vida que devemos dominar para nos sentirmos em controlo do nosso dia a dia. É lógico que não conseguimos organizar tudo ao mesmo tempo, sendo por isso essencial definir um período para a organização de cada área da nossa vida. Por exemplo, aqui em casa, estipulámos que na última semana de cada mês revemos todos os documentos que vamos colocando numa pilha ao longo do tempo. Também estipulámos que todos os domingos verificamos o frigorífico e a despensa para avaliar se temos que voltar ao supermercado. Desta forma, conseguimos tratar de todos os assuntos que nos chegam via papel (organização de documentos) e garantir que temos sempre o essencial na despensa da nossa casa (organização de casa).

4 – Planear a não organização 

Para além de me considerar uma pessoa organizada e arrumada, sou também muito descontraída e tranquila, mesmo quando à minha volta tudo me parece um caos. Acredito que consigo ter esta postura porque percebo que nem todos os dias são para organizar. É importante que a organização nos ajude de verdade e para isso temos que aceitar que há momentos em que o caos é a nossa organização. É normal que quando damos uma festa em nossa casa ela não esteja arrumada; é esperado que, na semana que antecede uma quadra festiva, a nossa agenda esteja super lotada; é inevitável que, na semana antes de irmos de férias, o trabalho seja mais exigente de forma a deixarmos tudo em dia. Dito isto, uma pessoa organizada é também aquela que consegue e sabe planear os seus momentos mais desorganizados.

5 – Reavaliar a organização

A organização tem várias etapas: a avaliação das necessidades, a construção de estratégias, a implementação de rotinas e, por fim, uma etapa muito importante que é a reavaliação. Se um hábito de organização não nos está a trazer o benefício esperado, é crucial reavaliar essa prática e termos a capacidade de aceitar uma nova forma de fazer as coisas. É comum ouvirmos que as pessoas são animais de hábitos e que temos dificuldades em mudar, contudo, se compreendermos que essa transformação nos poderá trazer frutos, tudo será mais fácil.  Mais do que sermos organizados, é muito importante mantermos a mente aberta para nos adaptarmos às mudanças existentes ao longo do tempo.

Gostaste deste artigo? Guarda-o no pinterest

Deixa um comentário

Your email address will not be published.