5 passos antes de arrumar

Arrumar é possivelmente a tarefa que mais me ajuda a encontrar foco e leveza no meu dia a dia. Para conseguir arrumar a confusão que encontro num espaço físico preciso, à priori, de organizar muita coisa mentalmente. Para organizar tenho que naturalmente me focar naquilo que estou a fazer. Digo, meio em tom de brincadeira (meio em tom sério), que para mim arrumar é o método mais eficaz de meditar. E como em qualquer método de meditação antes de nos lançarmos sozinhos, ao início, é fundamental que sejamos guiados. É por isso mesmo que vos trago os 5 passos antes de arrumar. São estes os passos que considero fundamentais antes de começarmos a arrumar e a organizar qualquer lugar.

1 – Estabelecer etapas

A pilha de roupa está gigante? O frigorífico acumula sistematicamente tupperwares com restos de comida? Tirar um frasco da despesa implica tirar para fora todos os produtos da prateleira? O armário está cheio mas há pouca roupa que realmente agrada?

Visto assim, tudo parece urgente, tudo parece que grita por arrumação e organização, tudo é para ontem. Mas a verdade é que só vamos conseguir reorganizar, se antes formos capazes de priorizar as nossas necessidades. É necessário sermos realistas e estabelecer etapas dentro da arrumação. Se estamos por exemplo a falar de toda a casa, é importante estabelecer como vamos arrumar: por divisão? Por espaços funcionais? Por categorias de objectos? Se o nosso foco são apenas as estantes do escritório, é igualmente necessário decidir as etapas: o que arrumamos primeiro? Começamos pelos livros, depois pelo material de papelaria e finalmente pelos objectos decorativos? Há muitas formas de obter um espaço organizado, arrumado e funcional, mas ter um plano concreto de como conduzir o processo de transformação parece-me essencial para ter sucesso.

2 – Desenhar o projecto 

Depois de ter um projecto bem definido é essencial não perder o foco e não desanimar durante o processo de arrumação. Desenhar o espaço como o desejamos pode ser essencial para manter a motivação. Se pensarmos bem, o desenho é, numa primeira instância, a materialização do nosso objectivo.

Como é que imaginamos a estante do escritório? Quais as categorias de objectos que queremos arrumar? Quais os objectos decorativos que são especiais e queremos que tenham destaque? O nosso desenho vai-nos responder a todas estas perguntas de uma forma visual. Ter o desenho do projecto à mão vai ser essencial para nos focarmos a terminar a tarefa.

3 – Criar caixas de reorganização

Durante o processo de arrumação, vamos deparar-nos com diversos objectos: alguns que já não nos lembrávamos que tínhamos, outros que apesar de gostarmos muito já não se encontram em bom estado e ainda outros tantos que, apesar de estarem óptimos, já não se adequam ao nosso estilo de vida actual. Todos estes objectos vão pedir-nos que tomemos uma decisão sobre eles.

O vestido que comprámos para o casamento da prima e só usámos uma vez, vamos vender ou é para doar? Os ténis que calçámos vezes e vezes sem conta até se romperem, vamos finalmente reciclar? Doar, vender e reciclar são apenas alguns exemplos de decisões que vamos ter que tomar durante o processo de arrumação. A minha sugestão é que criemos, à priori, diversas caixas para os diferentes fins. Ter caixas de reorganização, devidamente etiquetadas, vai tornar o processo de decisão mais fácil.

4 – Pedir ajuda

Quando nos dedicamos a um projecto de organização e arrumação são várias as tarefas que temos que fazer. Etiquetar, ordenar por cores, separar objectos por categorias, limpar, construir novo sistemas de arrumação… estes são apenas alguns dos exemplos de tarefas que muito possivelmente vamos encontrar. E, ainda que arrumar possa ser uma boa terapia, com tantas tarefas é também muito provável que não gostemos de todas.

Eu, por exemplo, adoro ordenar a roupa por cor e etiquetar as muitas caixas que tenho, mas confesso-vos que as minhas capacidades de bricolage são ainda muito escassas. Muitas vezes o meu projecto envolve pregar novas prateleiras ou montar um novo móvel, e é exactamente aqui que eu não tenho vergonha e peço ajuda. Sejam realistas, por vezes só com ajuda é que às vezes conseguimos materializar por completo o desenho do nosso projecto.

5 – Marca na agenda

Ter um espaço organizado poupa-nos, naturalmente, muito tempo. No entanto, é fundamental ter consciência que o processo de arrumação não se faz num estalar de dedos. Para conseguirmos chegar ao resultado final e usufruir de um espaço funcional é necessário comprometermo-nos e marcarmos na nossa agenda o tempo que vamos dedicar à organização.

Em cinco horas vai ser complicado arrumar toda a cozinha, mas talvez seja possível organizar o monte de papelada que se acumula há vários meses em cima da secretária. O importante é compreender o tempo livre que temos para a organização e adequarmos a tarefa a esse número de horas.

Gostaste deste artigo? Guarda-o no pinterest.

Deixa um comentário

Your email address will not be published.